sexta-feira, abril 07, 2006

Ainda a Arminda

Várias foram as pessoas que manifestaram o desejo de que a história da Arminda tivesse continuação, que haveria mais a contar.
Percebe-se que sim, que muitas coisas podiam ainda acontecer: o narrador conta à Arminda o que sabe do pai; à mãe dela sobre o pai da filha (à mãe sobre a filha?) e depois, o que fazem elas com essa informação? Outros ingredientes poderiam ainda ser adicionados à história.
Então porque não o fiz eu? Porque na minha cabeça, esta história começou pelo fim: com uma portuguesa no Red Light District de Amesterdão. Esse seria o ponto de chegada. “Entretive-me” depois a conceber uma vida que a conduzisse ali.
Quando me surgiu o final da história, deixando uma série de coisas em aberto, não me preocupei muito com isso, afinal, já tinha levado o barco a bom porto - e depois, assim, cada leitor pode imaginar o que aconteceu a seguir.
Ao longo do texto, alguns comentários foram no sentido de a história precisar de acabar “bem”. Tendo acabado como acabou, não sei se foi “bem” ou nem por isso, acabou como eu tinha imaginado. O que é que vocês acham?

Uma palavra para quem está a pensar que eu não tenho que me justificar, que tenho que escrever o que quero, como quero.
Eu sei disso, claro, mas não encaro este texto como uma justificação, não no sentido estrito da palavra pelo menos, é mais uma “troca” de impressões com quem tem a amabilidade de manifestar uma opinião – se assim eu aprender alguma coisa, ainda bem.
Não sou escritor, nem ambiciono vir a ser um, gosto de escrever e faço-o sempre que posso. Se o conseguir fazer melhor… melhor.

Este texto não era para ter acontecido, mas não quis deixar de dar uma palavra a quem leu a última história.
A quem já pede a próxima digo que, antes disso, tenho uns desafios para superar: daquelas famosas correntes que me pediram que respondesse.

Obrigado a todos.

33 comentários:

Francis ( X ) disse...

Foste amarrado com uma corrente?
Tenta saber se quem te amarrou tem algum picador de gelo, nunca se sabe.
Fica bem

Um abraço contra a Arminda

Margarida Atheling disse...

Não és escritor?!
Não és mercenário, não escreves porque te pagam, não vives disso. Mas escreves! Escreves magistralmente!
Esta história da Arminda é das coisas mais bonitas, ainda que triste e dramática, que li.
Parabéns ou... obrigada por nos dares coisas destas.

Beijinhos

zeni disse...

Eu gostei muito de ler a história e não acho nada estranho que tenha acabado como acabou. Afinal, trata-se de um conto.

Paixão disse...

Eu cá acho que tens razão. A história é tua, foste tu que a desenvolveste, e terminas como te parecer melhor.
Nós estamos aqui para te ler e saborear uma boa leitura.
E eu continuo a esperar pela próxima. Se tiver umas correntes pelo meio...não há problema:))

Beijinhos Rui

viver em segredo disse...

:)

inBluesY disse...

e a troca de impressões é importante para ambos os leitores.

por mim
obrigada
:)

ISA disse...

pois eu gostei muito de como a história acabou. eu gosto de histórias em que o final fica em aberto, para que possa pô-las a acabar bem. tu és o dono da história, tens uma imaginação mto fixe e eu respeito inteiramente o rumo que lhe queiras dar. porque no fundo o autor és tu. acredita, as tuas histórias são altamente mesmo. curte a cena de escrever, curte a tua cena. a tua imaginação. queira quem te lê que acabe bem ou mal a história é indiferente. as pessoas gostam das tuas histórias anyway, dês-lhes o fim que deres. por mim não sugiro nada. peço-te apenas que sigas os teus instintos. que escrevas o que e como te apetecer. beijo enorme, isa

Isa&Luis disse...

Olá:)) ás vezes os leitores tb contam em como vamos desenrolar a historia.

Tem um fim de semana delicioso


beijinhos

Isa

Sea disse...

A história da Arminda também pode ser deixada um pouco á imaginação de cada um...
Mas, gostei do Olhar sobre a mesma :)

rafaela disse...

A história da Arminda, foi uma história, crua como a vida, seca, daquelas que nos faz fechar os olhos como nos filmes de terror, porque não queremos ver o que queremos, o que lá está. A beleza ficou na maneira como foi escrita, como foi plantada aqui, brotou, quase naturalmente, parecia.

Escreve o que te apetecer, quando te apetecer, alguém vai ler e sentir!

hala_kazam disse...

eu adorei ler a historia da Arminda...fico a espera de novas...

*beijos*

Mipo disse...

gostei muito de conhecer a Arminda. Quanto ao final, a história é tua! A única coisa que achei foi que se fica com vontade de se saber mais (introduzes um elemento surpresa que dava para um n.º XI), mas, lá está, a história é só tua! A malta só espreita! :-)

Bué (X) disse...

ya, tá fixe, mas podia ter mais sexo e cenas maradas, e podia ter umas fotos...

Salseira disse...

Não és escritor? Porquê? Escreves bem melhor que muitos que andam por aí...

Quanto a esta tua história... é isso mesmo... tua!

Obrigada por a partilhares connosco.

A minha imaginação encarregar-se-á do resto.

lélé disse...

Rui, se tu não és escritor, eu sou a branca de neve!... A tua prosa prende por todos os motivos, desde a beleza estética à beleza do conteúdo passando pela simpatia do escritor!... Pessoalmente acho que "O Olhar de Arminda" acabou no ponto exacto em que devia acabar! Depois de ler este e outros contos teus, só posso acreditar que, ainda que "acorrentada", a tua escrita será uma delícia de leitura.

lélé disse...

Bem, escrevi agora um comentário, mas devia estar tao mal, que não "entrou"!... Porém, mesmo correndo o risco de "entrar" em dobro, não quero deixar de tentar... Pesoalmente acho que:
1 - escreves excelentemente e se não és escritor, eu sou o robin dos bosques;
2 - o "Olhar de Arminda" acabou exactamente onde devia acabar;
3 - "acorrentada" ou não, a tua escrita é, sem dúvida, um prazer de leitura.
Que bom, que um dia encontrei este blog!

lélé disse...

(oh!... repetiu!... desculpa!...)

Sara MM disse...

olha... "é assim" :o)

gostei mto da estória da Arminda... ou história, nem sei... perdi uma parte porque, bem... mas cheguei ao fim... e gostei... claro que pedi pra ser um final feliz, porque sabe sempre bem... mas tenho perfeita noçao que são os filmes com final triste os que mais me marcam, os que nunca esqueço! ainda não sei se é isso que me acontece com os livros.. nem se é isso que me vai acontecer com estórias que leio em Blogs, principalmente no teu...

Mas tudo isto para dizer que, por muitas Armindas que haja, ou tenham havido (com outros nomes, por vezes até foram frangos!eh!eh!)... estes toques pessoais que dás (muuuuita raramente) valem 5 estrelas, e acabam por ser o que dá significado a tudo isto... pelo menos para mim... mas isso já sabias, né?

BJs e espero que odeies mta coisa nos próximos tempos... EH!EH!

sonia r. disse...

Faz como eu recusa, eu recusei 4 desafios. Deixo um beijo de boa noite Rui.

amigona disse...

Pronto, tá bem... tu é que mandas... fica bem...

Paty disse...

Back! Back! Back! Que saudades do meu pc e de visitar os cantos dos amigos virtuais ;)
Obrigado pelos comments que me tens deixado e fico à espera de mais dos teus belos textos e desse desafio que por ai vem...é que é sempre bom conhecer quem esta do outro lado ;)

P.s. Quero saber como foi sisters!!! Ai quero quero!!!
Beijo

sonia r. disse...

Bom fim de semana Rui.

Bjos.

segurademim disse...

Olá Rui, acho que já estou cheia de curiosidade em relação ao que vais responder às "correntes"... vou pensar nas questões que colocas e depois digo-te o que penso, ok?

beijo, bom fim-de-semana ;)

Vanda Baltazar disse...

Gostei do fim da historia.

É real.E o que fariam uns com os outros? Nunca é tarde demais para reencontros...mas aceitei o teu fim, plenamente satisfeita com ele....

Se escreves, és escritor, Rui:)
Se gostas de escrever e escreves...és feliz! :)

Eu tambem, neste sabado cheio de sol e surpresas boas, reais e concretas!

Beijinhos

Van

alfazema disse...

Passei por aqui pela primeira vez e gostei do pouco que li. Gostas de escrever e fá-lo de maneira a prender o leitor. Continua. Por mim vou passar mais vezes.
Um beijo

Maria Pedro disse...

Faz o que tiveres de fazer. Mas continua a fazer. Quanto ao facto de as histórias acabarem, é assim que deve ser.

Um abraço!

Marta disse...

Não tenho tido tempo para te ler, Rui... Prometo que o farei em breve. Só passei para deixar um beijinho grande**

ernest disse...

Hoje passo só de passagem. só para dizer que vou fugir por uns dias e por isso desejo desde já Boa Páscoa e Boas Férias se for caso disso!!
Bj

Medusa Azul disse...

Espero bem que sim!!! Que lhe custe muito mais a ele... :)
Beijinho!

Anónimo disse...

... não tens que te justificar, estas na tua casa :-)
Gostei muito da história da Arminda, fez-me lembrar um livro que tinha lido há algum tempo.
Beijinhos e continua ... que vais bem. Jaqui.

Isa&Luis disse...

Deixei-me conduzir pela saudade e vim ler-te novamente:))


Tem uma semana deliciosa


Beijinhos

Isa

lena disse...

a beleza está na forma como foi escrita e para mim, ela foi excelente

a tua escrita é boa, o desenrolar de cada momento provou isso, adorei "conhecer e viajar" ao longo destes episódios com a Arminda, numa "estória" que direi muito proxima da realidade, onde todos os dias acontecem casos identicos

parabéns pela tua escrita, fico à espera de te ler novamente, depois da corrente com que foste preso

beijinhos para ti Rui

lena

alísios disse...

Rui, quero deixar aqui umas palavras sobre o texto e sobre ti. Quanto ao texto, acho que realmente acabou bem, por duas razões, se tivesses continuado, a espectativa quanto à reacção das personagens podiam ou não agradar aos leitores, e o acabar bem uma história, tem sempre a ver com o impacto no leitor e não no fim da história. Foi execelente.
Agora quanto a seres escritor, meu amigo, só posso dizer que os teus escritos são em muito, melhores que alguns autointitulados escritores que por aí andam, isto no meu ver, que perco muito tempo agarrado a livros... por isso se um dia pensares editar... podes contar comigo como leitor.

excelente!
Bis! é o que peço, ou melhor, e acho que falo por todos os que aqui vêm e retornam, BIS é o que pedimos.