segunda-feira, março 17, 2008

O Estojo (1)

Momentos antes de proferirem as palavras mais importantes das suas vidas, todo ele era dentes, toda ela era cabelos.
A Joaquim, entre outras reacções morfológicas, os nervos faziam-lhe esticar os cantos da boca, afastar os lábios e achatar o nariz. Sob pressão, ele sorria.
De cabelo fraco e pouco cuidado, sempre que Deolinda se sujeitava a tratos de cabeleireiro, parecia sair de lá envolta em electricidade estática, apontando cada cabelo em sua direcção – sendo que nenhum para baixo.
Era assim que estavam, lado a lado, a escutar sem grande atenção o Conservador que, daí a pouco, os ia declarar marido e mulher.


* * *


Joaquim apresentou-se na Conservatória do Registo Civil cinco quartos de hora antes do inicio da cerimónia. “Não fosse o diabo tecê-las”, tinha ele justificado aos pais e avós paternos, os únicos convidados que o orçamento tinha permitido – avós maternos, já não tinha. Estava, obviamente, sorridente quando foi sentar o casal de idosos numa das salas de espera.
À medida que o tempo passava, os olhos iam-lhe entrando em pausa no centro das órbitas. Ao mesmo tempo, o pescoço endurecia e o aperto do colarinho tornava-se insuportável. Era por isso que, sempre que usava gravata, a camisa tinha de ser, pelo menos, um número acima.
Mas logo se havia esquecido disso para tão importante ocasião. E foi com os colarinhos afastados, o botão de cima desapertado e o nó da gravata aparcado por baixo da maçã-de-adão, que ele aguardava, impaciente e suado, a chegada da noiva.

(continua)


boomp3.com


24 comentários:

* disse...

tão booom! venha o resto, venha.

Vanda disse...

Quem sabe "Hera" a Deusa do casamento, do compromisso e esposa, passe por lá para abençoar o nervoso casal de noivos :)

Para que tal aconteça, é suposto sempre, as habituais oferendas, neste caso, para "a dos olhos de vaca" esposa de Zeus, tb conhecida por juno, nada mais nada menos que umas paletes de leite Vigor, meio gordo e servido bem fresco.

...e de branco vinha a noiva? :)

beijo

JPD disse...

Voltarei para saber das angústias da noiva.

Gostei

Visita a

http://agaioladedawrin.blogspot.com

lélé disse...

O conto promete muita emoção (rir é uma emoção, não é? senão, a gente chora a rir!...)

A música...

Como não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo, estava toda entusiasmada a ouvir a música, depois "atacaria" o conto, quando, de repente, a música não parou no fim, mas muito antes!... Tão girinha! Não dá para a pôr toda?

segurademim disse...

... joaquim já é em si um nome musical Ruakim como diriam nuestros hermanos que nos cercam envolvem abastecem... olé!!!!

a chegada de la nobia é sempre emocionante como los falleros irao enchê-la de flores ... la virgen por supuesto

llegaremos... â tiempo del casório?!

Rui disse...

lélé: A música está toda - pelo menos, aqui de onde me sento, consigo-a ouvir toda. Ela é pequenita e termina depois de o senhor começar a cantar às avessas. Dizendo de outra maneira: quando o verde escuro chega ao fim, termina.

segura: Vocês andam a fallar como as notas grandes. Eu já os julgava a atirar lenha para a fogueira. Sobre o casório, provavelmente já só chegam para o copo d'água, mas não há problema, eu consigo-vos um flashback muito em conta. Saludos.

Menina_marota disse...

Não vou perder o próximo episódio... :)))

mixtu disse...

também uso um nº a cima, na gravata e na camisa
ele foi cedo, só espero que a moçoila falte...
yayya

abrazo serrano

Teresa Durães disse...

aguardo a chegada da noiva :)

beijos

angela disse...

gosto da curiosidade com que fico. quero saber mais do nervoso Joaquim e da eléctrica Deolinda.

Marginal disse...

Espero que nos poupe aos promenores sórdidos da lua de mel.

Vai contra a minha sensibilidade imaginar maças de adão proeminentes, varridas por cabelos em pé;)

Eyes wide open disse...

Pelo post e pelos comentários semeados por aí, parece-me que se atravessa uma fase de (bom) humor... e apuradíssimo.

Gostei. Fico à espera do to be continued.


;)


*

rosasiventos disse...

[ a traça da língua no fumo dos dias

chover-me canela

no odor de águas mornas

legivel disse...

... as fogueiras sao (os teclados espanhóis nao têm til) hoje â noite e contamos assistir ao vivo para contar como foi. Sobre o casório escreverei mais tarde... se chegar a tempo que o tempo por aqui está óptimo....

Azul disse...

"...sob pressão, ele soria." Onde é que eu já vi isto? Oh Rui, quer-me parecer que você me anda a seguir! lol

Um abraço. Até breve. Azul.

Azul disse...

Nota: teria mesmo de ser assim? A noiva a chegar atrasada, conforme manda o figurino, e o homem aflito, como quem se vai enforcar? Não haverá aqui um nadinha de excesso de conservadorismo? de imagens gastas que nem sempre são universais? Bom, fica o atrevimento da "crítica", neste espaço que muito aprecio, como sabe. Um abraço. Até breve. Azul.

Rui disse...

Azul,

Atreva-se, que é para isso que os comentários também servem. Muito lhe agradeço.

Sobre o atraso da noiva, devo dizer que o pressentiu, mas que ele não está lá - ainda? Pode-se bem esperar alguém que vai chegar a horas.
E nervos no dia do casamento, parece-me imprescindível. Mas pensará a Deolinda da mesma maneira? É precisamente por aí que começa a parte seguinte.

Um abraço.

Rui disse...

Azul,

À parte de a andar a seguir, é que não cheguei lá. :)

MGB disse...

Bom...Com esse teu engenho e arte para inverteres a ordem das coisas estou curiosíssima quanto ao tipo de comoções que me esperam. De qualquer modo, prevejo que seja algo entre a ironia a ternura e o riso.
:)

P.S. Olha lá...não tinhas prometido postas completas?

Júlia Moura Lopes disse...

Esse casamento não foi em Portugal. Os Conservadores são funcionários públicos e cumprem horários. É portanto impossivel algum dos nubentes atrasarem-se :-)

Rui disse...

mgb,

Eu aqui a tentar passar despercebido e vem a menina, mais o seu PS, escarafunchar e ferida com o dedo.
Digamos que ando à procura da maneira melhor ou, por outras palavras, é como calha.
Por agora, é pequeno e com menos intervalo. Depois logo se lê.

Para quem nunca comenta comentários, este post anda num virote. :)

MGB disse...

Pronto, pronto! Como calha também é uma modalidade deveras interessante, assim como a do virote, que foi outra mudança gira. Eu diria, antes, que este blogue está menos silencioso e mais dinâmico. Excelente!

Vanda disse...

Rui, desejo-te uma Pascoa muito doce (de chocolates e afins) e para seguir as tendências, com muito, muito movimento :)


Beijinhos

Gi disse...

ah pois,

não venho aqui há tanto tempo que tenho que começar a ler tudo outravez porque já não me lembro. vou cronometrar ... :)

Até já