segunda-feira, março 10, 2008

A Cura...

Saímos na última noite do último dia. O vento tinha levado a luz e caminhámos por instinto. De tão denso, o céu pesava dentro de nós. A tempestade, iminente. Deste-me a mão e um trovão mudo, apenas sentido, rasgou a cidade. Partilhámos o frio que ambos sentíamos num toque de pele.
Foi quando nos aproximámos de onde tudo termina, que os vimos. Seguiam todos o mesmo destino. O teu olhar respondeu que sim ao meu e fomos. Esvaídos e em dor.

Abrimos os olhos ao mesmo tempo. Sorriste e disseste que era bom estarmos ali, juntos.

... no início do mundo.


texto inspirado (?!) na Plainsong, dos The Cure


boomp3.com



18 comentários:

Maria Liberdade disse...

Também sempre achei que as canções dos Cure eram de renascimento. Uma das minhas mais, mais.

angela disse...

gosto de UNKLE - acabaram :'( mas deixam coisas assim.

mixtu disse...

bem.. ti foste ao principio do mundo?
viste por lá o Manel, a ultima vez levei-o e como viu as gajas núas... por lá quedou---

abrazo serrano desde o Mali para o homem dos cromos

Eyes wide open disse...

Ca liindoo...


;)


*

lélé disse...

Bem!... Esse texto está dedicado... Directo... Está muito bonito.

Susie disse...

O imaginário é sempre mais que perfeito. E mais que perfeito é o imaginário concretizado. porque é "never enough!"

legivel disse...

... e ele disse-lhe "vou ali ao balcão tirar as senhas". Ela olhou-o docemente e disse "´tá bem." Ele ficou ainda mais preocupado: há muito tempo (desde o fim do outro mundo) que ele não falava tanto de uma vez só. O da bata amarela perguntou-lhe "quais são os sintomas?" e ele respondeu "mal de amor a dois". O da bata amarela deu-lhe uma senha dupla lilás e disse "vá para a fila que o médico das urgências chega daqui a três dias".
Nesses três dias na fila fizeram muito amor. Amor doentio, naturalmente. O médico (de bata rosa) depois de os observar concluiu que: "devem ir a banhos para a caparica de imediato e beber dois litros de coca cola por dia. ah! não se esqueçam de vestir batas brancas antes de sairem deste início do mundo e apanharem o elevador para o outro mundo. Olharam cúmplices um para o outro e disseram -a uma voz, ao médico: vai-te curar!!

un dress disse...

ai e que início!

inicial...

iniciático

lindO :)







beijO

Vanda disse...

E que haja sempre a capacidade de redescobrir inicios...

Beijo

Anjo De Cor disse...

...este texto fez-me lembrar um filme, mas não me lembro do título ...
Esta muito bonito e leve ;)
Beijinhos amigo
SS

Sic Infit disse...

Lindo momento, linda parceria, lindo inicio...
:)

Vanda disse...

Rui, queres por o pessoal a dançar? ;)

Faltei no sábado ao encontro marcado :( e agora, como daquele "nosso amigo comum" podemos esperar de tudo...aqui ficam as dúvidas: Brincadeira ou mesmo verdade? :)

:) detesto sentir que passei ao lado ;)

calminha disse...

destas letras que tocam, que fazem pensar , sonhar, recordar...
bom fim de semana

segurademim disse...

um sentir a dois

o texto a quatro mãos, as cabeças encostadas
os sorrisos cúmplices

Andreia Ferreira disse...

que bonito :)

Lyra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Azul disse...

Este texto é transporta-me para o maravilhoso que existe em mim. Obrigada. Gostei mesmo dele, talvez porque me sinta nele. Um abraço. Até breve. Azul.

Júlia Moura Lopes disse...

ressalvo "algum dos nubentes atrasar-se.

as pressas.....