quarta-feira, junho 07, 2006

Uma Vida Demorada (14)

Recordando tudo o que aconteceu desde que ouvi a reportagem da TSF, há uns meses atrás, não consigo evitar um sorriso. Não é exactamente um sorriso de alegria, é mais uma reacção não controlada, uma manifestação exterior que acompanha a recordação de tudo o que aconteceu. E nem tudo foi bom. Não podia ter sido.
Parti à procura de algo sobre a minha mãe mas, na verdade, havia era muito a descobrir sobre mim, nisso a Leonor teve razão desde o primeiro minuto. Hoje, sei muitas coisas sobre ela, mas sei, sobretudo, mais sobre mim. Desde logo, que há ainda algumas facetas a descobrir e outras para perceber melhor; que tenho também de aprender a lidar comigo mesmo, para depois saber lidar com os outros.

Naquela noite, tentei por tudo agarrar-me à restea de consciência que senti ainda possuir. Recordo a urgência de perceber se tudo aquilo não era mais do que um delírio fruto da minha ébria imaginação ou, se pelo contrário, ela estava ali mesmo à minha frente.
Em vão, a principio. Sentia a mão dela pousada no meu braço, ouvi-a falar – embora não percebendo o que dizia – mas, naquele momento, sonhava o mesmo sonho de sempre, desta vez, acordado. Percebi, então, o que era aquela sombra que vinha da superfície: uma grossa corda que serpenteava na minha direcção.
Estiquei o braço para a agarrar, toquei-lhe mas deixei-a escapar. A cada nova tentativa, novo falhanço. Cada vez que a corda se aproximava e eu me convencia que seria desta vez que a conseguiria agarrar, a mão que me levava para baixo puxava-me. Comecei a ser tomado por algum pânico, afogava-me.
Num derradeiro esforço, reuni todas as minhas forças e impulsionei-me para cima. Consegui agarrar-me. Senti imediatamente que subia. A superfície aproximava-se.

- João, estás bem?
- Agora estou…

Parti à procura de algo sobre a minha mãe mas, quando já tinha desistido, foi ela que me encontrou.
Percorri um caminho que não levou a lado nenhum. Desesperei com isso mas, percebo-o agora, foi o trilho que deixei na minha busca que a conduziu até mim.
O que aconteceu explica-se facilmente: de facto, ela tinha sido mesmo membro do Partido Comunista mas, descrente com o rumo dos acontecimentos, entregou o cartão de militante em meados dos anos 90, mantendo, no entanto, contacto com várias pessoas. Uma dessas pessoas – uma amizade que supera as convicções politicas -, é Maria dos Prazeres, a mulher do ramo de flores, com quem eu choquei quando me puseram fora da sede do partido. Inteirando-se do que se estava a passar, contou à minha mãe e ambas decidiram investigar tão estranho pedido.
Pouco sabiam mas, como eu tinha mencionado o Museu de Ílhavo*, começaram por aí. Conseguiram falar com Alberto Cosme e, a partir desse momento, a minha mãe sabia quem eu era.
O problema foi Alberto apenas ter o meu contacto telefónico e de mail, uma vez que eu estava sem telemóvel e nunca ter ido ver o correio electrónico nos últimos dias.
Contactos do partido permitiram, pelo meu nome, chegar ao jornal para o qual trabalho e, através deles, obter a minha morada.

O que aconteceu a ela, também se conta rapidamente: presa pela PIDE, separaram-na de mim. Esteve presa em Lisboa até ao dia 26 de Abril de 1974 e todas as buscas que fez no sentido de me recuperar, foram infrutíferas. Conjugando as duas histórias, percebemos o que se passou. O chefe da brigada que a prendeu - Júlio Lucas - entregou-me ao seu grande amigo e colega de partido, o meu pai adoptivo, que ele sabia ter grande desgosto por não conseguir ter filhos (conheci-o bastante bem, era visita frequente lá em casa e ambas as famílias chegaram a passar férias juntos. Fugiu para o Brasil, onde viria a falecer). Usando da sua influência, Júlio conseguiu alterar registos e apagar todos os vestígios que pudessem conduzir até mim.
Ainda em 74 a minha mãe foi à Fuzeta, anonimamente - uma vez que a incerteza quanto ao futuro era grande e podia haver vantagem em ser dada como morta -, mas sem conseguir saber algo sobre o meu paradeiro.

Entretanto refez a sua vida, casou de novo e tem um filho. Dirige uma Unidade de Inserção na Vida Activa, onde ajuda pessoas carenciadas a obter formação e a capacitação necessária para uma eficaz procura de emprego. Canta fado uma vez por semana, num restaurante em Alfama!

- Gostava que lá aparecesses.
- Irei com certeza. Mas antes há algo que preciso fazer. Há ainda uma pessoa que tenho que encontrar.

Ficámos toda a noite a conversar. A espaços, dava por mim a duvidar de tudo aquilo, seria mesmo verdade?
À despedida, deu-me um cartão onde escreveu a morada do Restaurante: Beco Armazéns Linho, 1 – Alfama. O nome do restaurante fez-me dar uma gargalhada, “Bacalhau de Molho”.

Nessa noite pouco dormi, mas sei que não sonhei.

* Era a referência ao Museu Marítimo de Ílhavo que tinha falhado no post anterior.

Este post está longe do que eu queria, saiu muito esquemático, uma coisa a despachar, mas os acontecimentos da última semana varreram a inspiração, aquilo que eu precisava para escrever o que tinha em mente. A história ainda não terminou.

Depois de uns primeiros dias agitados e nada descansados, a calma parece estar a instalar-se. Mãe e filhos estão bons.

43 comentários:

Inês Diana disse...

Descansa, Rui... take your time! :)
O que é preciso é que estejam todos bem :)

Confesso que não esperava ver (quase) todas as questões resovidas, mas o post acabou por ser um bálsamo para a minha curiosidade... :))

Fico à espera dos "remates"

Beijo Salgado
(sem bacalhau, please :S eheheh)

Margarida Atheling disse...

Sem inspiração?! Imagina o que seria então de outra forma!
Está muito boa esta história.

Fico contente que esteja a voltar a calma por esses lados e que estejam todos bem! :)

alice disse...

querido rui,

é bom ter-te de volta ao conto

espero que esteja tudo bem contigo

um grande beijinho para ti

alice

ISA disse...

foi a correr sim mas a gente perdoa-te. além disso é mto imaginativo. bjs e mais uma vez parabens, que tudo corra mto bem.

Maria Pedro disse...

Rui, já te disse, mas volto a dizer: PARABÉNS! PARABÉNS! PARABÉNS! (How do you manage?)

Agora, tenta convencer-nos que a felicidade tem malefícios, tenta, anda, tenta...

legivel disse...

... ainda bem. E o pai?!
Ando agora a banhos por isso longe do blog. Mas vou deitando um olho aos meus amigos...

rafaela disse...

Uma vida demorada cada vez mais completa.
=)

Sofia disse...

Bom a mae já apareceu, que mais vem aí?

bjs

Jaqui disse...

... sem inspiração não me parece, andas a curtir um momento especial ;-)
Gostei! Bjs Grandes

Dani disse...

Com o vendaval de emoções que vai aí por casa, admira-me que consigas sequer pensar em postar! :)
Se bem que falta de inspiração, não me parece que se coloque por aqui.

Sea disse...

good :)
Se a inspiração te falhou e não saiu como querias... bolas.... estás a ser modesto :)
beijo Rui (keep on the good work)

Sara MM disse...

esquemático?!?!?!
... eu que qt mais lia mais pensava: "bolas, isto é que é um bom escritor/romancista... tem o que tem em casa e ainda consegue imaginar tudo isto... fazer-nos viver toda esta trama bem tramada... :o)"

Bjss
tens lá a legenda das Alminhas :o)

Sara MM disse...

AAAAAH!AH!AH!

depois de ler o comentário da Maria Pedro tenho de te melgar mais uma vez...

(Maria, estou contigo! Vamos "azucrinar-lhe" o miolo!)

Vá... conta lá... quais são os Malefícos da Felicidade...?!??!?!
Vá... conta...?!?!
Ah... pois... isso aposto que não consegues..?!?!?! eh!eh!

Bjss

Rui disse...

Mas Sara (e Maria),

Vocês escolheram uma altura em que os exemplos abundam: ele são noites mal dormidas; as fraldas cheias de coisas com mau aspecto; as cólicas; os soluços; o bolçar os progenitores de alto a baixo; etc.

Importa isto alguma coisa perante tamanha Felicidade? Absolutamente nada.

Gina disse...

Eheheh boa resposta migo, só te falta acrescentar ke daki a alguns anos te vais rir de tudo isso e aí sim vao ser os maleficios da felicidade, mas inevitáveis.
Gostei da tua falta de inspiração, e já agora Ruizito algo ke não percebi, que tem aquela rapariga???
Pergunto-me ás vezes se alguma vez te arrependeste de a teres inspirado a escrever.

Gina disse...

Amigo!

Não era uma afirmação, logo não podia estar enganada.
Era só uma pergunta?
Obrigado pelas tuas palavras e por seres meu amigo
Beijinhos

Sara MM disse...

eeh!eh!eh!
quem sabe, sabe! afinal nós é que fomos apanhádas!
eh!eh! excelentes exemplos!
Deixaram-me a rir e rir e rir... e desejosinha de sentir esses Maleficios ... da Felicidade, claro!
:oD

Bjs*4

Sara MM disse...

eeh!eh!eh!
quem sabe, sabe! afinal nós é que fomos apanhádas!
eh!eh! excelentes exemplos!
Deixaram-me a rir e rir e rir... e desejosinha de sentir esses Maleficios ... da Felicidade, claro!
:oD

Bjs*4

Sininho disse...

Rui isso n é falta de inspiração, mas se tu achas, ok. Tá lindo mas continuo à espera de mais.

Medusa Azul disse...

ups!!.. <:) tá visto que não posso ir de férias. em especial para a praia!!! fiquei com um lápis pesado de sal.. :) ainda não consegui apanhar o ritmo.

entretanto MUITOS PARABÉNS pelo filhote!!! :)

alice disse...

bom dia, rui

gostei especialmente desta última frase do teu post

que assim continue amigo

e tu também bem, claro

um grande beijinho

bom fim de semana

alice

Francis ( X ) disse...

Quem posta ainda assim é porque gosta de bacalhau à posta.

Um abraço ai por casa onde a vida sorri.

zeni disse...

Estou a gostar mesmo desta história. Para além de me deliciar com as palvras, delicio-me com as entrelinhas...

Paty disse...

Olá!!!
Então o pequenote e o resto da familia??? Espero que estejam todos bem! :)
Quanto a este teu post, um gajo (gaja neste caso) entra aqui e parece que é sugada para dentro do tambor da maquina de lavar roupa, leva umas torcidelas e depois sente-se entrar num tunel de flashback...ao mesmo tempo que revemos a história desde o inicio vemos as cenas seguintes...
Repentino, brutal....mas continua bom e cativante como sempre!
Beijos e bom fim de semana!

pequenita (quando o teu corpo e o meu) disse...

surpreendes-m com essa capacidade de realizador...:o)
Como esta a nova fase da tua vida??O filhote esta bem??? beijitosss e bom fim de semana no meio de biberoes, troca de fraldas, choros, risosas....e mto mto amor...

Polly Jean disse...

Em 1º lugar, parabéns atrasados por mais esse milagre do nascimento do teu segundo filhote. Muitos, muitos parabéns.
Ainda bem que retomaste a vida demorada. Gosto de te ler.

Salvador disse...

Estou a gostar e não perdeste a inspiração.Bjs a criança e bom fim de semana

lélé disse...

Repetição dos comentários anteriores, mas dito por mim: estás com falta de inspiração?!!!... Isso era piada, não era?... Nova repetição: não deve ser nada fácil estar a curtir uma vida nova ao memo tempo que se tenta terminar a demorada!... Parabéns, Rui.

( NoCaS ) disse...

Gostei muito do inicio ... a descrição do sonho ... adorei!

Envolvente como sempre ... mas ... o encontro entre os dois...confesso que não é dos meus excertos preferidos :$

E não penso que seja falta de inspiração...talvez a pressa não tenha ajudado?! É como tudo na vida ... há dias em que, por mais que tentemos, não há meio de "agarrar" um texto poderoso...há dias...vão e vêm...vão e vão :D
Fico a espera do próximo..só espero que não seja eternamente lOoL

bjiS =)

segurademim disse...

... o fado é muito bem metido aqui. o desenrolar da vida, as voltas que ela dá, os encontros e desencontros, as UNIVAs e os afectos... sempre emocionantes os teus escritos
não percas de vista a Leonor

é bom saber-te feliz com toda a familia bem

beijo, bom fim-de-semana

Meia Lua disse...

Estou à espera de ver aqui um post onde dizes o título e o lugar do lançamento do teu livro:)

Mourinho disse...

Cheguei aqui á pouco tempo, e o pouco que tenho lido seu, desperta-me muita curiosidade, gosto de ler o que vai escrevendo, fico sempre na expectativa...


Cumprimento-o.

Claudia Perotti disse...

Uia! quanta coisa perdi!!!
Agora tenho que colocar minha leitura em dia.

Saudades de ti, menino!

Beijinhosssssss

Maria Pedro disse...

Querido Rui,

Como já deves saber por agora, eu e a Sara, isto é só inveja...

Beijo

mixtu disse...

ainda bem que está tudo ok,
bacalhau de molho... bom apetite e cuida do moço que vai pôr os cromos nos sacos, yayayya
cumprimentos monárquicos

lazuli disse...

Sempre a ler-te, sempre.

inBluesY disse...

é o q dá chegar atrasada ... já tudo foi dito.... mas continua lindo a história e a família também !


e quanto a Maria e a Sara eu listo-me com elas ... vá lá não pode ser só isso ....


jinhos
a todos :)

manhã disse...

Não há nada como uma história de separação que acaba bem...(quase todas acabam mal)!

Capuchinho Vermelho disse...

já não há magia?

e lobos maus?

Wisper disse...

já tava com saudades dos teus post's!!!

ainda bem que já posso ler a continuação da historia

beijinhos

Martuxa disse...

Mãe e Filho estão bem e isso é k importa =D

Sea disse...

está demorada sim :)
beijo

Medusa Azul disse...

consegui finalmennte pôr a leitura em dia :)

não tenhas pressa, curte o teu rebento.. o bacalhau que espere! e nós também! :)