domingo, dezembro 11, 2005

É Natal

- Estou?

- Sim, quem fala?

- Sou eu, pá, o Pai Natal.

- Ah, olá Pai Natal. Deixe-me aqui tirar o som ao televisor…

- Estavas a ver o quê?

- Nada de especial, estava a ver a Arlinda a abandonar a Base.

- Também vês essas merdas, pá?

- Naaa, estava a fazer zapping quando vi a Arlinda a bater continência a um gajo de microfone na mão. Fiquei a ver. Mas deixe lá isso, conte-me como vão as coisas por aí.

- Mal, pá. Vão mal.

- Então, que se passa?

- Ora, o que é que se havia de passar, estamos no Natal!

- Pois, imagino que deva estar caótico.

- Caótico é em Agosto quando chego da praia, nesta altura nem há palavras para descrever isto, pá.

- Maldita invenção esta do natal.

- Podes crer, se eu soubesse que ia dar nisto, nunca tinha aceite esta brincadeira.

- Mas você não tem aí muita ajuda?

- Sabes lá o que é ser ajudado por Duendes, Elfos e Gnomos… estes gajos não se gramam uns aos outros, é só chatices, só queixas, só lamentações, pá. Os Elfos não podem ver os Gnomos, estes boicotam o trabalho dos Duendes, e estes só sabem é chatear as Renas. É de dar em doido, pá.

- E você não dá um murro na mesa?

- Eu atirei foi com a mesa ao ar! Ameacei-os com despedimento colectivo. Eles que vão trabalhar para Holywood, que fiquem lá à espera de mais filmes em que os da raça deles entrem. Mas que esperem sentados! Lá porque houve uns filmes em que entraram, devem pensar que todos os anos há mais. Eu bem lhes disse que aqui, pelo menos, era garantido: Natal há todos os anos, já filmes…

- E eles?

- Os sacanas na altura não disseram nada, meteram as orelhongas nos barretes e deram meia volta. No dia seguinte aparecem-me aqui uns quantos, auto-intitulados “comissão de trabalhadores” e ameaçaram que iam criar um sindicato! Tu já viste isto, pá?

- Um sindicato?

- Um sindicato, pá. Já tinham nome e tudo. Esta malta das criaturas dos contos de fadas não bate bem, tu repara nisto: Sindicato dos Técnicos Operadores de Natal E Diversos. Nem dá para acreditar.

- Você tem que ter calma, olhe a sua tensão. Você já não é novo.

- Qual tensão, pá. Esta cambada dá é cabo da cabeça de um santo.

(em fundo, ouve-se uma música: “eu sou e serei, coração, coração sem dono… não me quero prender a ninguém, ainda é cedo para me entregar, quero viver o que a vida tem, um dia mais tarde se verá… quero o peito livre pra voar e a mente solta pra curtir, o meu coração a palpitar, durante muitos anos sempre assim… porque eu sou e serei, coração, coração sem dono…”)

- Que música é essa, pá?

- É a TVI, a Ruth Marlene está a cantar.

- A Ruth… no outro dia via-a a fazer flexões. Deixa cá ver se ela já pediu alguma coisa ao Pai Natal…

- Veja lá.

- Não tenho cá nada em nome de Ruth… ou de Rute Marlene.

- Ainda não teve tempo, anda muito ocupada na guerra.

- Mas olha que os portugueses são quase sempre os primeiros a pedir. Logo em Outubro recebi daí os primeiros pedidos.

- Gente ansiosa, por certo.

- Pareciam, sim. Bom, os quatro primeiros, pelo menos.

- Pediram o quê?

- O primeiro pedido a chegar foi do menino Mário, explicava-me que já não tinha idade para escrever ao Pai Natal, mas que o fazia porque não pedia só para ele, que o que queria era para o bem comum, etc. Enfim, uma ladainha para me pedir um Tacho. Achei muito estranho tanta coisa por causa de um simples Tacho.

- Não é um tacho qualquer, Pai Natal, é um Tacho muito apetecível.

- Percebi isso nos dias seguintes, pá. Então não é que o menino Manuel, logo no dia seguinte, me escreve a pedir desculpa por já não me escrever há muito tempo, mas que tem escrito outras coisas e que depois não tem tempo nem para uma carta. Pedia ainda que, caso eu já tivesse recebido um pedido igual do seu grande ex-amigo Mário, o ignorasse, porque era ele, menino Manuel que tinha direito a o Tacho, que o Mário já tinha tido o dele.

- São piores que as crianças…

- Depois foi o menino Chico a pedir-me o Tacho. Que me achava um bocado capitalista e ao serviço do grande capital e por isso não me tem escrito, mas que, este ano, excepcionalmente, contava comigo, com a minha reflexão ponderada de homem vivido para me passar para o lado dos oprimidos, dos que têm pouco, das vitimas dos barões que controlam esse tal capital. Que eu podia começar por lhe dar acesso ao Tacho.

- Não me diga que o menino Jerónimo também lhe escreveu.

- Escreveu, pá! Que era a primeira vez que o fazia, que antes os seus camaradas lhe confiscavam o selo e a carta para o Pai Natal e que por isso nunca tinha conseguido. Mas que sempre me achou piada, vestido assim de vermelho, a viver no meio da neve; que isso o lembrava da Sibéria, dos trabalhadores que para lá iam trabalhar para o bem dos outros camaradas. Que no fundo eu era um símbolo do operariado. Concluía dizendo que também ele queria ajudar os outros, mas que para isso precisava do tacho. Vou-te contar, pá, já mandei investigar que raio de Tacho é esse que eu também o quero oferecer à Mãe Natal.

- Não recebeu nenhum pedido do menino Aníbal?

- Aníbal? Não me recordo, mas deixa-me consultar a base de dados.

- Veja lá isso, agora estou curioso.

- De facto, há aqui uma carta do menino Aníbal, mas não pede nada ao Pai Natal. São só duas linhas, diz ele que não quer escrever muito para não se prejudicar, que o ano lhe correu bem e que vai acabar melhor, que não tem nada para me pedir, que o Tacho já é dele. Despede-se desejando-me um bom Natal.

- O menino Aníbal é muito sabido. Tem o Bolo Rei na barriga, é o que é.

- Parece que isso anda muito animado por aí neste Natal.

- Nem queira saber. É a corrida ao Tacho, às compras e foi também a abertura da época de transferências religiosas.

- Hã, que é isso, pá?

- É muito parecido com a reabertura do mercado futebolístico agora em Janeiro. É a altura em que se volta a poder negociar o passe dos jogadores entre clubes. Neste caso, tem a ver com a mudança de paróquia por parte de alguns padres. Há sempre polémica com a decisão de algum bispo iluminado que, quando percebe que a população local gosta do padre e até vai à missa, trata logo de o transferir. Cá para mim, os bispos são como os empresários de futebol, devem ganhar à comissão com as transferências que fazem.

- O que passará pela ideia dessa gente…

- É mistério insondável, mas este ano a transferência do padre Luís António de Ranhados para Sendim, deu mais que falar que a transferência do Figo do Barcelona para o Real Madrid.

- E como acabou isso?

- Ora, no fim-de-semana passado não houve missa nem em Ranhados nem em Sendim. Parece que ficaram todos a perder.

- É sempre o mesmo… pá, agora tenho de ir, a Mãe Natal está a chamar-me. Vai começar o AB… Sexo.

- Grandes malucos que vocês são.

- Curiosidade cientifica, apenas.

- Sim, claro. Pai Natal…

- Diz lá depressa.

- Cuidado com a distribuição de prendas este ano, não vá o trenó ser confundido com uma avião da CIA. E feliz Natal para si também.

29 comentários:

Lagoa_Azul disse...

Bem..ta demais...inspiração divima a tua ;)..
Alegria ( não confundir com Alegre )é o que se quer nesta época..., Paz e muito Amor..
Maravilhosa época natalicia para ti e para quem amas..
Beijos .

Martuxa disse...

O areal é fácil o com é k é mais complicado...
Um Santo Natal na graça do Senhor
Sorrisos e beijitos
=P

virilão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
virilão disse...

tá demais?
então e o Garcia Pereira e o advogado do bibi? és muito tendencioso!
ESTOU DO LADO DOS DUENDES E DOS ELFOS, SÓ PARA QUE SAIBAS!
E mais uma coisa, o Pai Natal é um oportunista, eu é que me maço nos hiper e nos toys'r'us e o fulano é que fica com os louros!
Já agora, parabéns, gozaste com aqueles dois que sabiam a musica do Ze CID, mas surprendeste-me com essa do coração sem dono...(sabe-la toda é o que é!) e não desafinas!

M.M. disse...

Olá!

Antes de mais, obrigada pela tua visita e simpático comentário.
Gostei bastante deste teu texto. Vou... como é que se diz na gíria cibernauta...? Ah, pois. Linkar-te.

Bjs,

M.M.

Rui disse...

Amigo Virilão, de facto está mal não constar do post as cartas que o menino Garcia e o menino Zé Maria Martins escreveram ao Pai Natal, mas é que iam tornar o post muito comprido. Ficaram umas coisas por dizer, mas isto não se quer muito comprido e eu bem que tenho abusado nas letras.
Aquele abraço.

th disse...

Óh Rui tu és o máximo, máximo de imaginação, máximo de visão das coisas. Tudo do melhor para ti! th

moonj_Rita disse...

Nesses casos é melhor mesmo que o pai natal não exista...

@ disse...

E lá ficam as renas apreendidas tudo porque o nariz do Rudolfo as denúncia...

Mas os tachos dos candidatos está o máximo.

cinderela disse...

Eheheh!
Tá muito giro!
Parabéns!
Se voltares a falar com ele, manda-lhe um abraço da minha parte :-)

Anónimo disse...

Não sabia que tinhas amigos assim tao importantes e em lugares de destaque! Sempre me podias ter dito, tinha tantas coisas que pedir para este Natal. Agora parece que ja nao devo ir a tempo, a confusao está instalada.
Bom resta-me esperar pelo proximo ano e já agora........olha tem um excelente Natal, sim?
Beijos ss

Francis ( X ) disse...

Rui, a proxima vez que o Pai Natal te telefonar diz-lhe que eu estou muito agradecido pela bela prenda.





































para os curiosos a prenda foi:
SLBenfica 2 - Manchester U. 1

Ok ok ok, mas vejam a coisa pela positiva, sempre são 6 milhões ou mais a sorrir, e a venda de kit´s está no top das prendas.

Já agora para todos FELIZ NATAL

LUA DE LOBOS disse...

um texto brilhante de humor e imaginação!!!!
xi muito apertado da
maria de são pedro


p.s.
achas que ainda irá a tempo um pedido meu?
menos intransigência entre os humanos... please!!!!!

Anónimo disse...

OOOh OOOh OOOh

Anónimo disse...

Enquanto houver um sorriso de simpátia, um gesto de amizade, amor..., sempre existirá o Natal. É pena que cada vez mais esta festa esteja associada ao consumismo das coisas caras e do bem estar material, mas ... os valores mudam.
Gostei muito Rui, tá o máximo!. Eles é que precissavam de levar não com um tacho mas com uma panela de pressão na tola pra ver se ficavam mais finos, hehehehe :-)Beijinnhos da Jaqui.

Mipo disse...

dá-lhe um abraço meu. Dele só quero paz e amor a nível mundial. Achas que lhe é pedir muito?...

Guidite disse...

adoro acreditar no Pai Natal..acho-o lindoooo
beijo

segurademim disse...

Pobre Pai Natal rico!! se fosse pobre ninguém se lembrava dele!!!

Eles só sabem pedir! a comida, o tacho e tudo!!!!

Beijo :)

Sara MM disse...

está o máximo dos máximos!
não vou ver melhor este natal de certeza!!!
e mesmo neste blog... vai ser dificil ver melhor! eh!eh! ;o)

BJs

Sara MM disse...

Qt aos tachos...
uma frigideira bem dada na cabeça de cada um é que era... com aquele barulhinho dos desenhos animados TÓIN-ÓIN-ÓIINNGG
venham os elfos! e os gnomos! e os outros! com uns desses já levamos nós todos os dias :o|

Anónimo disse...

Pai Natal a Presidente da República!!!!

Pai Natal a Presidente da República!!!!

Pai Natal a Presidente da República!!!!

ehehehehheeheehehehe

______________________________

Neith disse...

Fantástico este teu post!!!! Um beijo enorme :)

Calvin disse...

Espectacular! só esqueceste o desgraçadinho do Anjo, que no momento de fúria do Pai Natal lhe foi perguntar onde enfiava o pinheiro... e viste o que o Pai Natal lhe fez?
Pois, ainda é para ter pena desse tipo? E pra mais como é que ele vai fazer com o tacho? cá pra mim já está a preparar uma fuga ao fisco... dá uma, recebe outra... enfim... quanto a confundir o trenó com os aviões "secretos", só posso replicar como o ministro... Quais aviões?

Prossegue com essa alegria...

Vampiria disse...

Tu e a tua ficção, hmmm, que boa sensação, nao és escritor??
beijos

Anónimo disse...

Magnifique, mon ami... magnifique :)))comme d'habitude!!!

LD

Margarida Atheling disse...

Muito bom!

Rica conversa! ;)

Vanessa disse...

Hehehe
Tadinhos dos nossos filhos, os que acreditam no Pai Natal.
Tadinha de mim que os tachos que tenho, são para lavar :P

Valha-nos o humor, a vontade de consumir e a vontade de ver sorrir.

Este texto está hilariante, parabéns! ;D

Ana P. disse...

Eheheheh Rui.

Realmente pah....

Jinhus

sm disse...

Espectacular!!! Muitos parabéns!!! Deve ser bom ter amigos assim, ainda por cima com informação sempre actualizada.

;)
Sandra