terça-feira, junho 21, 2011

Ir

Telma,

Demasiado calor aqui dentro demasiado calor la fora. Temp ideal esta dentro dos carros c/ ar cond. Lembrei logo de ti. De nos. Das avent q nos falta cumprir. As q falamos quando queremos por em pausa nossas existências. Imaginar nos n1 qualquer lugar longe distraiu-me logo 1s minutos do sufoco em q me encontro. Estou tolhida na respiracao e na accao. Queria abrir porta e ir. Ir! Ir! É 1 circulo vicioso em que me vou apertando cada vez +: n vou porque, que me impede? N é falta de resposta que custa é saber resposta. U know. La esta ela, sei q o pensas. Tb sei q desculpas. Se te visse agora chegar de carro e fizesses sinal para ir… Para onde quer q fosse.

Luísa.















12 comentários:

ss disse...

Todos temos dentro de nós uma Thelma & Louise. Porque não ir?
:)

(a banda sonora vou escutar com calma e voltar cá mais tarde)

Rui disse...

acho que foi por falta de espaço que a Luísa não falou no mais importante: o voltar. depois, faltou-lhe a coragem.

via disse...

Ai o filme, adorei, adoro a evasão de todas as actividades é uma das mais libertadoras!

Lélé disse...

Já ouvi falar do filme... Por azar, nunca do argumento!...
Não gosto da escrita abreviada. Estive de acordo com o acordo, agora não sei onde estou, mas só sei que continuo a escrever "à" antes do acordo, mas, mesmo assim, já depois de vários acordos, portanto, tenho esperança que as gerações mais jovens se encarreguem de colocar em prática este últimoo acordo "tortográfico".

AnaMar (pseudónimo) disse...

Por vezes precisamos de evasões assim........sem sabermos se regressamos. O filme um marco. A banda sonora acompanha uma dupla de aventura.

C. Jordão disse...

Já ca nao vinha ha anos... Estava a pesquisar o meu antigo blog vampiria e reencontrei te. Beijinhos

R. disse...

Às vezes não importa para onde, importa apenas partir. E quando é na companhia certa, tudo são possibilidades.

legivel disse...

Luisa,
Havemos de tirar à sorte para onde iremos. Vou fazer aquele sinal que só nós sabemos: o da cruz. Não saias donde estás que estou a chegar no 735. Claro que desculpo; tudo! que a amizade também serve para esquecermos as merdas que fazemos uma à outra. Sempre soubeste o que eu sei e o que penso e eu sei o que tu sabes e pensas, tem sido sempre assim. Passaste a vida a fazer perguntas; talvez por isso as respostas já não são as que sonhaste. Tenho comigo uma tesoura,agulha e linhas para alargar o círculo onde te meteste, uma chave-mestra para te abrir a porta, uma máscara de oxigénio e alguns filmes do Bruce Lee. Não imagines: havemos de ir à Costa do Castelo. Pausar não é boa ideia; existir é agir (onde é que fui buscar esta?!) e as nossas aventuras não terminam hoje... temos muitos dias até o autor do post se lembrar de escrever outro. A tua panca dos carros com ar condicionado é que te têm condicionado a vidinha. Não desesperes nem te dispas; levo-te uma água bem gelada para resfrescares as ideias.
Telma.

legivel disse...

... a orquestra do ténis de mesa: cinco (chuva) de estrelas. Óptima para acompanhar um ensopado de fantasma.

ss disse...

e fotos? hum? nada?!
:)

lélé disse...

(só pra dizer que me escangalhei a rir com o comentário do Legível... ainda tou toda escangalhada, aliás...)

tb disse...

a mim parece-me um sms. :))))
às vezes é bom e vale a pena ir, outras nem tanto. :)*