quinta-feira, junho 18, 2009

Parassonia

Dá muitas voltas à vida – nunca lhe pareceu que fosse a vida a dar muitas voltas. Estranha quando não reconhece nos mais ínfimos recantos do corpo a fadiga dos dias. É sinal que não se conseguiu afastar a distância necessária. Nessas voltas que inventa para si, centrifuga a sua existência: aquilo que sente a mais. É por isso que o tempo entre o abrandar e o adormecer lhe é o mais insuportável. Confinado ao seu espaço, tudo é mais presente. Corpo e mente não reconciliam a forma e o modo do repouso. As voltas que dá na cama são insuficientes e as paredes estão logo ali. Dói-lhe o arrastar das horas em que se tenta converter em sonâmbulo. Seria, então, menos difícil.




18 comentários:

~pi disse...

antes de dormir, quero

quase sempre

não

acordar

voltas e voltas

no corpo e agora

no corpo

de roma

também

estranhos

cavalos

colunas e

fontes e átrios,




~

Arabica disse...

Crucificados descansos do corpo
enquanto ardem as velas.
Dão-se voltas a promessas.
Com o calor, o pé afasta o confortável lençol da fé.
Adormece por fim, nu e cansado.

Teresa disse...

Tem um Prémio meu que pode ser "levantado" aqui:

http://comlivros-teresa.blogspot.com/2009/06/premio-e-eleitos.html

:)

Teresa Sá Couto

RC disse...

Voltei.

Eyes wide open disse...

:) isto quase parece uma das minhas insónias...

(gostei da tua Roma!)



*

Devaneante disse...

Não tenho tido muitas nos últimos tempos, felizmente... Tenho chegado à cama já demasiado cansado, e a manhã tem chegado sempre cedo demais...

PS: Voltarei com mais calma para ler o que perdi durante a minha ausência.

lélé disse...

Aderiste às palavras difíceis de dizer, mas que querem dizer muitas coisas? A paranóia durante a insónia... Se bem que, uma insónia já é uma paranóia e, portanto, sendo a pranóia da paranóia, parassonia está muito bem!

Alice... do Gato, Isolta de Tristão, Julieta de Romeu. Todas e nenhuma. disse...

Olá, meu caro. Se não te importas, pretendo (per)seguí-lo. Gosto muito das coisas que escreves.

Anjo De Cor disse...

Gostei das fotos ;)
Para quando uma exposição de fotografia na fnac? era uma ideia, não achas amigo...
Beijinhos*
Sónia

legivel disse...

... também eu meu caro. As voltas que eu dou na cama representam centenas de Giros, de Tours, de Vueltas e de Voltas a Portugal todas feitas de bicicleta. Daí que, tantas insónias pedaladas me deram a ideia do estaminé em Roma que fotografaste. Tiveste azar em não me ter apanhado: foi exactamente no dia em que dormi vinte e quatro horas seguidinhas. Como um justo, diga-se em abono da verdade.

PreDatado disse...

A marcha imparável do tempo. Mesmo quando as horas se arrastam.

Arabica disse...

Rui,



E também eu vou dar uma volta :))

Gosto muito do teu perfil.
Não lhe falta vitamina C.

:)

Beijos para vocês

Leonor disse...

depende... há episódios de sonâmbulismo que não têm graça... o que vale é que passa...

e por mais voltas que dê (e já dei muitas) nunca o cansaço da labuta serviu de alguma coisa. mas as voltas pela casa, essas sim!

Boa semana!

via disse...

as insónias são lagos imensos e densos que é preciso compreender, às vezes levanto-me e vou fazer qualquer coisa, depois mais tarde volto.

segurademim disse...

... ora, se moesse bem o corpinho e só fosse para a cama quando estivesse podre

lavar, esfregar, arear azulejos, mosaicos, loiças da casa de banho, etc e tudo o que houver para arear, esfregar, lavar

corpo e mente concilidos com os anjinhos

só que estes exercícios não dão textos tão sensuais

A disse...

Ontem tive a insónia mais estranha da minha vida. acordei às 6 e meia da manhã e durante uma hora não tive sono absolutamente nenhum. Vi tv como é meu costume destas alturas e voltei para a cama :)


Não sou muito de insónias, confesso...


Mas a Vida sim, dá muitas voltas rui.

Melita disse...

Seria sim... e dai talvez não...
...
bjitooooooooo

ss disse...

Não faço jus ao nome...não tenho insónias... sou sonâmbula.. e mesmo acordada...estou sempre a dar voltas à vida.